A separação e destinação correta dos resíduos orgânicos é o caminho para construirmos um futuro mais sustentável! Mas você sabe como a compostagem contribui para a redução da poluição e gera impactos positivos no Meio Ambiente e na sociedade?

Neste blogpost, vamos te ensinar o que é a compostagem e como essa alternativa pode transformar o cenário da poluição, causada principalmente pela destinação inadequada dos resíduos orgânicos.

Com essa prática sustentável, você contribui para a redução da emissão de gases poluentes, como o metano que é um dos responsáveis pelo efeito estufa. Além disso, deixa de produzir o chorume tóxico nos aterros sanitários e lixões, assim, evita a contaminação do solo, do ar e da água!

Cenário do “lixo” orgânico no Brasil

De acordo com a Agência Brasil, apenas 4% dos resíduos são destinados de forma correta em nosso país. A maneira adequada é aquela que faz a separação em 4 tipos de “lixo”: os orgânicos, os recicláveis, os especiais e os rejeitos.

A falta de separação dos resíduos afeta negativamente o Meio Ambiente e isso acontece devido há alguns fatores, um deles é que apenas 74,4% dos municípios possuem iniciativas de coleta seletiva.

Considerando o cenário de falta de separação correta, os tipos de resíduos acabam se misturando antes mesmo de chegar nos aterros e lixões, começando pela sua lixeira. Sendo assim, é necessário reavaliar os hábitos de descarte e separação, pois com a falta de tratamento, há a contaminação entre os resíduos e isso acaba por inviabilizar a reciclagem de muitos materiais recicláveis.

Mas você já se perguntou para onde vai o seu resíduo orgânico? Infelizmente, após o descarte, grande parte é encaminhada a aterros sanitários, aterros controlados, lixões ou até mesmo acabam ficando no Meio Ambiente.

Nestes ambientes, normalmente, não há controle da emissão do gás metano e gás carbônico, que causam o efeito estufa e que por sua vez colaboram para o aquecimento global. Além disso, há produção e acúmulo de chorume, proveniente dos próprios resíduos não tratados, que contaminam o solo e a água.

De acordo com o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, nosso país precisa subir a taxa de reciclagem para ao menos 48% até 2040 para mudarmos o cenário de poluição, originada dos resíduos destinados de forma inadequada, e define que, uma das principais alternativas de aproveitamento dos resíduos orgânicos é a compostagem.

Compostagem: a separação e destinação correta

A partir do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, a compostagem se torna um caminho para cuidar do Meio Ambiente! Desta forma, é possível fazer o controle da geração dos resíduos e dar o destino e tratamento adequado. 

Mas o que é a compostagem, afinal? A compostagem é um processo biológico e natural de decomposição dos resíduos orgânicos, sejam eles de origem urbana, doméstica, industrial, florestal ou agrícola. Através desta prática podemos valorizar os resíduos e transformá-los em adubo.

Dessa forma é possível fazer a reciclagem dos resíduos orgânicos, que é composto por restos de alimentos de origem vegetal, como: talos, sementes, cascas, sobras, bem como os alimentos de origem animal, como carnes, ossos, derivados do leite e outros.

Ao separar e destinar corretamente, além de cuidar do Meio Ambiente, você contribui para a valorização dos resíduos, que são transformados em Adubo Orgânico!

Tipos de Compostagem

Agora que você viu os impactos positivos da compostagem no Meio Ambiente, chegou a hora de entender quais os métodos para reciclar o seu resíduo orgânico, confira:

Vermicompostagem

Você já deve ter ouvido falar da compostagem com minhocas, não é mesmo? Essa prática recebe o nome técnico de vermicompostagem.

Nesse processo, são utilizadas caixas, dispostas em torres e que se organizam em três camadas. Cada uma desempenha uma função para valorizar o resíduo e obter o adubo orgânico. Entenda como funciona o ciclo de transformação:

Na primeira caixa, as minhocas consomem os “restos” de frutas, verduras e legumes que foram depositados anteriormente. Após a decomposição, a minhoca produz o húmus, este líquido desce para a segunda caixa, onde é filtrado naturalmente antes de ir para a última fase.

A terceira caixa tem a função de receber o líquido das camadas anteriores, chamado de chorume, considerado um adubo concentrado. Neste método, a compostagem acontece por aproximadamente 60 dias.

Para praticar esse modelo é preciso ficar atento a alguns fatores, pois devido a metabolização dos resíduos no corpo dos das minhocas, existem algumas restrições:

  • Não se deve colocar alimentos cítricos e derivados de leite, pois estes alteram o pH do solo. Portanto, ao ingerir e respirar o ácido, afeta a reprodução e/ou acarreta na morte das minhocas, bem como dificulta o processo de decomposição.
  • É preciso fazer o descarte das frutas, legumes e verduras em pedaços pequenos;
  • Não faça o descarte de alimentos de origem animal, como carnes, pois demoram para se decompor e podem contaminar o solo;
  • É necessário manter a sua composteira em ambiente seco, coberto e longe do chão;
  • É indispensável que a umidade e a aeração do solo estejam sempre em equilíbrio. Para isso, revire a terra com frequência para a entrada de oxigênio. Adicione a serragem para controle de temperatura e umidade, assim as minhocas se mantêm vivas;
  • O chorume produzido na terceira fase não deve possuir mau cheiro, fique atento a este sinal.

Compostagem Termofílica

A compostagem termofílica é uma forma prática de colocar este hábito na sua rotina e não possui tantas restrições. Veja:

O primeiro passo é fazer uma camada de resíduos secos, pois evita o contato direto com o solo e facilita a entrada de ar, utilize podas de árvores, serragem ou até mesmo o bambu. Esta camada contém o carbono, elemento essencial para a transformação do resíduo em adubo.

Na segunda camada coloque os resíduos orgânicos, fazendo uma espécie de “cama” para adicionar uma próxima demão de materiais ricos em carbono. Os alimentos são a fonte de nitrogênio, e proporcionam o desenvolvimento de bactérias e fungos, que decompõem os resíduos. 

Outros elementos fundamentais são o oxigênio e a água, são eles que fazem o controle de aeração e umidade do solo. A falta destes itens causa mau cheiro, desacelera a ação dos microrganismos e podem atrair insetos indesejados. 

Para ser considerada uma compostagem termofílica deve haver a presença de altas temperaturas, acima de 45ºC. Durante o ciclo de valorização, é normal que a temperatura se altere e é através da aferição do calor que definimos quando o adubo estará pronto.

Contudo, o que difere este modelo da vermicompostagem é que esta possui menos restrições. Sendo assim, é possível fazer o descarte de resíduos de origem animal, como ossos, carnes, bem como cítricos e laticínios, ou até mesmo caixa de pizza, papel toalha, entre outros.

Geralmente, esse modelo é feito em grande escala mas é possível fazer a compostagem termofílica na sua casa, para isso é necessário que você tenha um espaço aberto e ficar atento aos pontos que exploramos anteriormente.

Contudo, se você busca um jeito prático de compostar, a Composta+ está aqui para facilitar a sua rotina! Realizamos a compostagem termofílica do seu resíduo por você, assim, transformamos o que antes era lixo em Adubo Orgânico e sustentável para todos os tipos de plantas.

Impactos positivos no Meio Ambiente

Nas residências, a geração dos resíduos orgânicos vem, em grande parte, da sua cozinha. Ao preparar os alimentos, é comum que ocorra o descarte de parte das cascas, talos ou até mesmo o que sobra do jantar do dia anterior. Mas onde e como você descarta esse resíduo influencia (e muito) na Natureza.

Por isso, é preciso rever os hábitos que colocamos na rotina e fazer trocas sustentáveis para cuidarmos do Meio Ambiente. Ao aderir a compostagem, você recicla o “lixo” orgânico e contribui para a valorização. Além disso, torna a separação de diferentes tipos de resíduos muito mais fácil.

Em três anos de Composta+, criamos impactos positivos ao Meio Ambiente e à sociedade, tudo isso junto com a nossa Comunidade Sustentável. Mas você também pode fazer parte desta mu, é simples: ao praticar a separação e destinação correta dos resíduos, você contribui para mudar o cenário de poluição e constrói um futuro mais verde, confira o que fizemos até agora:

Dados de Impacto da Compostagem Composta+:  3.212 toneladas compostadas, 525.496 sacos plásticos a menos no Planeta, 1.303.963 m³ de metano não emitidos.
Dados de Impacto. FONTE: Composta+

Por isso, com a compostagem, além de pensar no Meio Ambiente, você cria mais consciência sobre o que é descartado, e assim, evita o desperdício de alimentos e retorna as sobras do resíduo para o ciclo natural de decomposição. Ainda pensando nos ciclos, é importante dizer que ao praticar a compostagem, você fortalece a sua conexão com a Natureza e deixa sua marca no mundo!

E aí, vamos juntos construir um futuro mais sustentável?